A árvore do vizinho invadiu o meu terreno. E agora?

Este assunto me faz lembrar de quando eu era criança.
Minha avó, sempre discutia com o nosso vizinho, pois as raízes de suas árvores invadiam nosso terreno. Um certo dia, minha avó contratou um lenhador para cortar as raízes da árvore conhecida como Quaresmeira (foto da imagem do post) que estava invadindo a sua propriedade. É claro que como se não bastasse, o vizinho ajuizou uma ação em face dela por ter segundo ele “danificado ” a beleza da árvore que ele tanto amava.

Consequências dos Vícios Redibitórios nos contratos de Compra e Venda.

A Boa Fé, é um dos princípios mais importantes em que se baseia o código civil, e também de forma especial o direito das obrigações e a teoria geral dos contratos. Sendo ela, aquela que recai na importância das intenções objetivas e subjetivas das partes contratantes.
.

No entanto, com o passar dos anos, e ou talvez com a evolução do homem, em alguns momentos este principio da boa fé, que é um dos pilares do direito civil, pode vir a não ser respeitado e sobre esta ótica, o direito civil se fez necessário regulamentar determinadas condutas, para com que este princípio viesse a ser respeitado desde a gênese do direito. Como por exemplo, os vícios redibitórios, elencados nos artigos 441 e seguintes do código civil de 2002.

Fui esbulhado do meu imóvel e agora?

Todos nós passamos grande parte das nossas vidas almejando realizações e conquistas! Seja um emprego bem visto, uma viagem por todo o mundo, iniciar uma faculdade, abrir um negócio ou até mesmo comprar aquela tão sonhada casa para o maior conforto da nossa família não é mesmo? Nas palavras de Augusto Cury: “As conquistas dependem de 50% de inspiração, criatividade e sonhos, e 50% de disciplina, trabalho árduo e determinação. São duas pernas que devem caminhar juntas.”